Simpósio Internacional de Estudos Inquisitoriais: História e Historiografia

Salvador, 10 a 14 de agosto de 2011. Universidade Federal da Bahia

A história da Inquisição na Era Moderna (1492-1789) tem o seu marco inicial no final da década de 1470 quando os reis espanhóis Fernando II de Aragão (1452-1516) e Isabel I de Castela (1451-1504) solicitaram ao papa Sisto IV (1471-1484) a autorização para estabelecer o Tribunal da Inquisição com objetivo de combater o crescimento das práticas heréticas, sobretudo entre os conversos judeus e muçulmanos.
Da publicação da bula Exigit Sincerae Devotionis Affectus (1 de Novembro de 1478) até à extinção definitiva ocorrida em 1834, o Santo Ofício actuou em toda área de dominação espanhola, incluindo estabelecimentos de tribunais na América (Peru em 1570, México em 1571 e Cartagena em 1610).
Em terras lusitanas a experiência começou no reinado de D. João III (1521-1557) quando o papa Paulo III (1534-1549), a 16 de Julho de 1547 publicou a bula Meditatio Cordis que estabeleceu o Santo Ofício da Inquisição Portuguesa. Essa instituição agiu por quase trezentos anos (1536-1821), acumulando mais de 40 mil processos, envolvendo muito mais pessoas dentre presos e denunciados. A América portuguesa presenciou, igualmente, um fenômeno discriminatório que segregou vários grupos, colocando-os à margem da sociedade e negando-lhes uma série de direitos, principalmente aos cristãos-novos. Os crimes sob a alçada inquisitorial foram classificados de crimes contra a fé, contra a moral e os costumes, como bigamia, sodomia e feitiçaria, entre outros. Os primeiros eram considerados os mais graves, e recebiam as penas mais severas.
Além dos tribunais ibéricos, a 4 de Julho de 1542, por meio da bula Licet ab initio, foi criada a Inquisição Romana, conhecida como Congregação do Santo Ofício. O crescimento de práticas denominadas “protestantes” foi o que motivou o estabelecimento desta Congregação. A actuação da chamada Inquisição Romana deixou registos que são de grande valia para o estudo desta época, destacando-se os processos movidos contra Giordano Bruno (1548-1600) e Galileu Galilei (1564-1642).
Atualmente, contamos já com importantes pesquisas sobre o funcionamento da Inquisição. Atendendo à complexidade da Instituição, urge não só repensar o tema, “avaliar” o que foi escrito, mas igualmente abrir novos campos de pesquisa. Por isso, o evento objetiva reunir pesquisadores e estudiosos que nos falem da Instituição, mas também todos aqueles que usam as fontes inquisitorias para nos dar a conhecer outros campos do saber sobre a sociedade moderna e contemporânea.
ACESSE: http://www.ufrb.edu.br/simposioinquisicao/

“Ana de Holanda e ECAD atacam política de Lula”


Por Sérgio Amadeu

O movimento de software livre, de recursos educacionais abertos e os defensores da liberdade e diversidade cultural votaram em Dilma pelos compromissos que ela afirmou em defesa do bem comum. No mesmo dia que a Ministra Ana de Holanda atacou o Creative Commons retirando a licença do site, a Ministra do Planejamento Miriam Belquior publicou a normativa que consolida o software livre como a essência do software público que deve ser usada pelo governo.

É indiscutível o descompasso que a Ministra da Cultura tem em relação à política de compartilhamento do governo Dilma.

Os defensores da indústria de intermediação e advogados do ECAD lançam um ataque a política de compartilhamento de conhecimento e bens culturais lançada pelo presidente Lula. Na sua jornada contra a criatividade e em defesa dos velhos esquemas de controle da cultura, chegam aos absurdos da desinformação ou da mentira.
Primeiro é preciso esclarecer que as licenças Creative Commons surgiram a partir do exemplo bem sucedido do movimento do software livre e das licenças GPL (General Public Licence). O software livre também inspirou uma das maiores obras intelectuais do século XXI, a enciclopédia livre chamada Wikipedia. Lamentavelmente, os lobistas do ECAD chegam a dizer que a Microsoft apóia o software livre e o movimento de compartilhamento do conhecimento.

Segundo, o argumento do ECAD de que defender o Cretaive Commons é defender grandes corporações internacionais é completamente falso. As grandes corporações de intermediação da cultura se organizam e apóiam a INTERNATIONAL INTELLECTUAL PROPERTY ALLIANCE® (IIPA, Associação internacional de Propriedade Internacional) e que é um grande combatente do software livre e do Creative Commons. O Relatório da IIPA de fevereiro de 2010 ataca o Brasil, a Malásia e outros países que usam licenças mais flexíveis e propõem que o governo norte-americano promova retaliações a estes países.

Terceiro, a turma do ECAD desconsidera a política histórica da diplomacia brasileira de luta pela flexibilização dos acordos de propriedade intelectual que visam simplesmente bloquear o caminho do desenvolvimento de países como o Brasil. Os argumentos contra as licenças Creative Commons são tão rídiculos como afirmar que a Internet e a Wikipedia é uma conspiração contra as enciclopédias proprietárias, como a Encarta da Microsoft ou a Enciclopédia Britânica.


Quarto, o texto do maestro Marco Venicio Andrade é falso até quando parabeniza a presidente Dilma por ter “restabelecido a soberania de nossa gestão cultural, anulando as medidas subservientes tomadas pelos que, embora parecendo modernos e libertários, só queriam mesmo é dobrar a espinha aos interesses das grandes corporações que buscam monopolizar a cultura”. O blog do Planalto lançado pelo presidente Lula e mantido pela presidente Dilma continua com as licenças Creative Commons. Desse modo, os ataques que o defensor do ECAD fez a política dos commons lançada por Gilberto Gil, no MINC, também valem para a Presidência da República.

Quinto, o movimento de software livre, de recursos educacionais abertos e os defensores da liberdade e diversidade cultural votaram em Dilma pelos compromissos que ela afirmou em defesa do bem comum. No mesmo dia que a Ministra Ana de Holanda atacou o Creative Commons retirando a licença do site, a Ministra do Planejamento Miriam Belquior publicou a normativa que consolida o software livre como a essência do software público que deve ser usada pelo governo. É indiscutível o descompasso que a Ministra da Cultura tem em relação à política de compartilhamento do governo Dilma.

Sergio Amadeu da Silveira é professor da UFABC. Sociólogo e doutor em Ciência Política. Foi presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação e primeiro coordenador do Comitê Técnico de Implementação do Software Livre na gestão do presidente Lula.

E.P.Thompson · Costumbres en común

Costumbres en común

1. Introducción. Costumbre y cultura
2. Patricios y plebeyos
4. La economía moral de la multitud en la Inglaterra del s. XVIII


Historia de Iberoamérica I, M. Lucena Salmoral (coord.)

LUCENA SALMORAL,M (coord

Manuel LUCENA SALMORAL (coord.), Historia de Iberoamérica. Tomo 1: Prehistoria e Historia Antigua.  Madrid, Ed. Cátedra, 1987.

El título de la colección, del tomo y de las distintas secciones del libro nos parecen haber sido construidos con un claro sesgo etnocéntrico. Conceptos como Iberoamérica, Prehistoria e Historia Antigua (además de muchos otros que aparecen en el texto) nos resultan de algún modo inconcebibles para una historia de América.
De todas formas, no sería correcto quedarse con sólo esta impresión del libro. Releyendo algunas partes sorprende un poco comprobar que no se trata de un simple traslado de los esquemas de otras historias a la americana. Se trata en definitiva de un libro muy serio, y lo subimos pensándolo como un complemento inicial para la colección de Historia de América Latina disponible en este blog.
Acaso convendría leerlo teniendo presente que fue publicado en Madrid en 1987 bajo los auspicios de la Sociedad Estatal para la ejecución de programas del Quinto Centenario…

Recreating Africa

Exploring the cultural lives of African slaves in the early colonial Portuguese world, with an emphasis on the more than one million Central Africans who survived the journey to Brazil, James Sweet lifts a curtain on their lives as Africans rather than as incipient Brazilians. Focusing first on the cultures of Central Africa from which the slaves came--Ndembu, Imbangala, Kongo, and others--Sweet identifies specific cultural rites and beliefs that survived their transplantation to the African-Portuguese diaspora, arguing that they did not give way to immediate creolization in the New World but remained distinctly African for some time.
Slaves transferred many cultural practices from their homelands to Brazil, including kinship structures, divination rituals, judicial ordeals, ritual burials, dietary restrictions, and secret societies. Sweet demonstrates that the structures of many of these practices remained constant during this early period, although the meanings of the rituals were often transformed as slaves coped with their new environment and status. Religious rituals in particular became potent forms of protest against the institution of slavery and its hardships. In addition, Sweet examines how certain African beliefs and customs challenged and ultimately influenced Brazilian Catholicism.
Sweet's analysis sheds new light on African culture in Brazil's slave society while also enriching our understanding of the complex process of creolization and cultural survival.

http://uncpress.unc.edu/browse/book_detail?title_id=1110

About the Author 

James H. Sweet is assistant professor of history at the University of Wisconsin.

Memória do Samba: Trechos de filmes ajudam a resgatar a história do samba

 Mesmo participando ativamente da história da cidade, o samba nem sempre recebeu a devida atenção de pesquisadores. Seus primórdios hoje são garimpados por historiadores e sambistas. A partir da segunda metade do século passado, o cinema despertou para estas manifestações.
Nos Braços da Batucada de sexta-feira (28) procura a Memória do Samba. Com trechos de filmes de cineastas como Leon Hirzmann e depoimentos de Sérgio Sanz, João Carlos Rodrigues, Estevão Ciavatta e Raquel Valença, o documentário revela momentos importantes, inclusive os inesquecíveis improvisos de partido alto.
TV Brasil, Horário: sexta, 23h20
http://www.tvbrasil.org.br/novidades/?p=12071

Privateers and Privateering

In this book, first published in 1910 at the height of Britain's naval arms race with Germany, E. P. Statham (b. 1848) presented the lives and exploits of, in his words, 'licensed plunderers'. Insisting his tales were 'without embroidery' but were intended 'to amuse and entertain', Statham clearly had a fondness for adventure and an almost grudging admiration for his subjects. A retired Royal Navy officer at the time of publication, Statham was also the author of a number of medieval histories, and at one point was the superintendent of a School Ship, which when moored in the River Mersey (Statham was born in Liverpool) was twice burnt down by its pupils. In his conclusion, Statham questions the possible role of privateering in the wars yet to come. Engaging and colourful, the stories perhaps reveal as much about the buccaneering spirit of the author as they do about their subjects. 
http://www.amazon.com/dp/110802629X/?tag=bhis-20

XXVI SIMPÓSIO NACIONAL HISTÓRIA

ANPUH 50 ANOS: Comemorações

Em 1961, em reunião na cidade de Marília, foi criada a ANPUH - Associação Nacional dos Professores Universitários de História, hoje transformada na Associação Nacional de História, pois a entidade se abriu para a filiação de todos os profissionais de história, inclusive aqueles que atuam no ensino fundamental e médio, e nas instituições voltadas ao patrimônio histórico. Esta entidade, portanto, está completando no ano de 2011, 50 anos de existência, que serão comemorados quando da realização de seu XXVI Simpósio Nacional de História, evento tradicionalmente promovido por esta Associação, o qual ocorrerá entre 17 e 21 de julho de 2011, na cidade de São Paulo, nas dependências do campus da Universidade de São Paulo.  A palavra comemorar vem do latim commemorare e significa trazer a memória, fazer recordar, fazer lembrar, solenizar recordando. A comemoração, portanto, se relaciona com o campo da memória, da memória voluntária, aquela em que se convoca à lembrança, em que um evento, uma solenidade convoca à recordação de um fato, de um feito, de um evento, de um acontecimento, de uma data, de um personagem. A comemoração tem, pois, a finalidade de provocar a recordação e de, solenizando uma ocasião, forçar a lembrança, fazer lembrar algo que seria individual ou coletivamente relevante, que deveria ser inesquecível. Nós, historiadores, costumamos lidar com os artefatos da memória, por isso, as comemorações nos interessam, também estão afeitas ao nosso campo. Como sabemos, a historiografia se relaciona de uma maneira crítica com as diversas formas e versões das memórias, entre elas os eventos comemorativos. Assim, faremos da oportunidade em que comemoraremos os 50 anos de fundação da entidade máxima de representação acadêmica e política dos historiadores, um momento privilegiado de reflexão sobre os vários sentidos, significados e, inclusive, implicações políticas do comemorar, em nossa sociedade e em nosso tempo, bem como em outras sociedades e em outros momentos históricos.

Convidamos a todos os profissionais da área da história ou nela interessados para, de modo solene, durante o próximo Simpósio Nacional, lembrar o percurso de nossa Associação, suas lutas, conquistas e derrotas e nos debruçar sobre sua memória, sempre de modo crítico e questionador, para que ela possa dar novos passos no sentido de sua consolidação institucional.
Comemorar significa a elaboração de uma dada versão do passado, daquilo ou daquele que é lembrado (e esquecido); o ato de comemorar implica fazer escolhas por dadas versões, por dados significados daquilo que se comemora; implica também, como toda atitude de memória, a produção de esquecimentos, de silêncios, de omissões. Convidamos, portanto, a que venham a São Paulo comemorar o cinquentenário de nossa entidade, mas que venham fazê-lo do melhor modo, que é exercendo a nossa própria atividade, não abrindo mão de nossa obrigação social de sermos analistas críticos das memórias em todas as suas formas de elaboração e difusão. Enfim, comemorar indagando sobre os sentidos políticos e sociais desta prática, nos diferentes contextos e nas diferentes temporalidades em que se deram e em que se dão esses atos de evocação. Festejar, solenizar sem abrir mão da atividade de reflexão sobre as implicações do ato comemorativo. Portanto, vamos todos juntos festejar e pensar!
ACESSE: http://www.snh2011.anpuh.org/conteudo/view?ID_CONTEUDO=615

INFORMATIVO: ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

(CLICK NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA)
Siga o Arquivo Público no Twitter: www.twitter.com/ArquivoPublico
Visite o site do jornal "Última Hora": www.arquivoestado.sp.gov.br/uhdigital
Saiba mais sobre a emissão de certidões: www.arquivoestado.sp.gov.br/difusao/memorial

Política de compartilhamento sob ataque


Por Sergio Amadeu da Silveira em 27/1/2011

Os defensores da indústria de intermediação e advogados do ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) lançam um ataque à política de compartilhamento de conhecimento e bens culturais lançada pelo presidente Lula. Na sua jornada contra a criatividade e em defesa dos velhos esquemas de controle da cultura, chegam aos absurdos da desinformação ou da mentira.
Primeiro é preciso esclarecer que as licenças Creative Commons surgiram a partir do exemplo bem-sucedido do movimento do software livre e das licenças GPL (General Public Licence). O software livre também inspirou uma das maiores obras intelectuais do século 21, a enciclopédia livre chamada Wikipedia. Lamentavelmente, os lobistas do ECAD chegam a dizer que a Microsoft apóia o software livre e o movimento de compartilhamento do conhecimento.
Segundo, o argumento do ECAD de que defender o Creative Commons é defender grandes corporações internacionais é completamente falso. As grandes corporações de intermediação da cultura se organizam e apóiam a International Intellectual Property Alliance (IIPA – Associação Internacional de Propriedade Internacional), que é um grande combatente do software livre e do Creative Commons. O relatório da IIPA de fevereiro de 2010 ataca o Brasil, a Malásia e outros países que usam licenças mais flexíveis e propõe que o governo norte-americano promova retaliações a esses países.
Descompasso notável Terceiro, a turma do ECAD desconsidera a política histórica da diplomacia brasileira de luta pela flexibilização dos acordos de propriedade intelectual que visam simplesmente bloquear o caminho do desenvolvimento de países como o Brasil. Os argumentos contra as licenças Creative Commons são tão ridículos como afirmar que a internet e a Wikipedia são uma conspiração contra as enciclopédias proprietárias, como a Encarta da Microsoft ou a Enciclopédia Britânica.
Quarto, o texto do maestro Marco Venicio Andrade é falso até quando parabeniza a presidente Dilma por ter "restabelecido a soberania de nossa gestão cultural, anulando as medidas subservientes tomadas pelos que, embora parecendo modernos e libertários, só queriam mesmo é dobrar a espinha aos interesses das grandes corporações que buscam monopolizar a cultura" (ver "Artistas em defesa da ministra").
O Blog do Planalto, lançado pelo ex-presidente Lula e mantido pela presidente Dilma, continua com as licenças Creative Commons. Desse modo, os ataques que o defensor do ECAD fez à política dos commons lançada por Gilberto Gil, no Ministério da Cultura (MinC), também valem para a Presidência da República.
Quinto, o movimento de software livre, de recursos educacionais abertos e os defensores da liberdade e diversidade cultural votaram em Dilma Rousseff pelos compromissos que ela afirmou em defesa do bem comum. No mesmo dia que a ministra Ana de Holanda atacou o Creative Commons retirando a licença do site do MinC, a ministra do Planejamento Miriam Belquior publicou a normativa que consolida o software livre como a essência do software público que deve ser usada pelo governo.
É indiscutível o descompasso que a ministra da Cultura tem em relação à política de compartilhamento do governo Dilma.

Fonte: http://observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=626ENO019
Reproduzido da Agência Carta Maior, 25/01/2011; título original "Ana de Holanda e ECAD atacam política de Lula"

Historians Against Slavery


NOT FOR SALE http://notforsalecampaign.org is formally allied with Historians Against Slavery.

It is a path-breaking abolitionist NGO that offers enormous programmatic support for developing abolitionism on our campuses and in our community. It is a 21st century incarnation of the antislavery societies so active in the 19th century
It offers historians unprecedented opportunities to share their scholarship and teaching with on-the-ground activists and to present/publish it for much expanded audiences.
It offers students faculty, public historians and HAS members generally multiple opportunities for direct involvement— locally, nationally and abroad.
Specifically:
Not For Sale underwrites the HAS website—It invites HAS members plan and participate in NFS’s AnnualForum, its highly-acclaimed international conference—It invites HAS members to participate in the NFS Think-Tank, which develops projects and policy world-wide, nationally and locally for opposing slavery—It invites HAS members to participate in its Not For Sale Academy, its Backyard Abolitionist Workshops, and several other programs that foster direct involvement. (for specifics see website) 
http://www.historiansagainstslavery.org/index.htm

27 MILLION PEOPLE ARE ENSLAVED TODAY

Not For Sale is a Campaign of students, artists, entrepreneurs, people of faith, athletes, law enforcement officers, politicians, social workers, skilled professionals, and all justice seekers united to fight the global slave trade and end human trafficking.
The Campaign aims to recruit, educate, and mobilize an international grassroots social movement that effectively combats human trafficking and slavery through "Smart Activism". It deploys innovative solutions for every individual to re-abolish slavery -- in their own backyards and across the globe.
Not For Sale believes that everyone has a skill to contribute that can free an individual living in bondage, and together we can stop human trafficking and end slavery in our lifetime.
ACESSE: http://www.notforsalecampaign.org

Exposição Fotográfica Bença - Por: João Milet Meirelles

De 27 de janeiro até março, acontece a exposição “Bença”, do fotógrafo João Milet Meirelles, no Teatro Vila Velha. Trata-se do ensaio fotográfico feito a partir da peça teatral que comemora os 20 anos do Bando de Teatro Olodum. As fotos transbordaram o conceito de registro e se transformaram num terceiro trabalho onde uma homenagem ao tempo e o respeito aos mais velhos foram traduzidas em imagens fotográficas. No ensaio, além das relações imagéticas com a peça, há também uma homenagem aos mestres e à tradição: os antepassados fotógrafos e criadores de imagens da Bahia, como Verger, Carybé e outros.
Esta exposição vem consolidar a pesquisa do fotógrafo em seus ensaios com as artes cênicas: suas fotos são parte da construção imagética do espetáculo, o que amplia o conceito de registro para um trabalho compartilhado e propositivo e também amplia as relações de criação que envolve seus projetos.
É também com interesse nas relações temporais dos ofícios cênicos que o trabalho do artista se relaciona com a peça “Bença” de forma profunda – uma homenagem ao tempo. “Nada como uma técnica que se caracteriza por eternizar instantes para tal homenagem”, diz o fotógrafo.
ACESSE: http://www.teatrovilavelha.com.br/noticias-gerais/222-joao-meirelles

Oficinas do Amostrão Vila Verão

(CLICK NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA)

Unilab abre primeiro processo seletivo para professores visitantes

Estão abertas, até o dia 31 de janeiro, as inscrições para o primeiro processo seletivo de professores visitantes brasileiros ou estrangeiros. Uma oportunidade para quem deseja fazer parte da história dessa universidade que está só começando.

De acordo com o Edital Nº 01/2011, são 10 vagas distribuídas entre as coordenações de: Ensino de Graduação, Administração Pública, Agronomia, Enfermagem, Engenharia, Energias e Desenvolvimento Sustentável, Ciências da Natureza e Matemática – Licenciatura.

Para inscrever-se o candidato deverá preencher e entregar o requerimento dirigido à coordenação de área interessada, disponível no Escritório ou clicando aqui, acompanhado dos documentos requeridos no formulário. Uma das exigências do processo é que o candidato precisa ter no mínimo título de doutor.

O contrato do candidato brasileiro aprovado será por tempo determinado de 01 ano, podendo ser prorrogado em até 2, e para candidato estrangeiro será de 04 anos, de acordo com a necessidade da Coordenação interessada. Os salários variam de acordo com formação e categoria escolhida pelo candidato e podem chegar até R$ 11.755,05.As informações sobre deferimento de inscrição, bem como a divulgação dos resultados da seleção, deverão ser obtidas pelo candidato no Escritório da Unilab, de forma presencial, por telefone (Tel. 55 85 33669496) ou pelos endereços eletrônicos: 

FAPESB Lança editais de Apoio Regular


A Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovação (PROPCI)  comunica que Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB), lançou quatro editais do Programa de Apoio Regular:
  •   Apoio à Participação em Eventos no Exterior e em Território Nacional;
  •    Apoio à Organização de Eventos (para o 2º semestre de 2011);
  •   Apoio à Publicação Científica; e
  •   Auxílio-Tese / Auxílio-Dissertação.
Os editais podem ser acessados no Portal FAPESB (www.fapesb.ba.gov.br). Esclarecimentos e informações podem ser obtidos nos telefones (71) 3116-7675, 3116-7666 e 3116-7647 ou pelo e-mail nar@fapesb.ba.gov.br, com o Núcleo de Apoio Regular da Fundação.

XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais

A cidade de Salvador foi escolhida para abrigar, pela primeira vez, o Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais, nos dias 07, 08, 09 e 10 de Agosto deste 2011. O Evento, que está em sua décima primeira edição, tem como tema as "Diversidades e (Des)Igualdades", que serão discutidos em 11 eixos temáticos. Durante os quatro dias de evento, especialistas em ciências sociais e humanidades de diversos países estarão reunidos para debater a diversidade e a complexidade de sociedades diferenciadas, nos mais variados aspectos, como é o caso dos países de língua portuguesa.
A programação acadêmica acontece no campus de Ondina da UFBA, e conta com a realização de eventos públicos e atividades culturais no centro histórico de Salvador. O XI Congresso Luso Afro Brasileiro está sendo organizado por um comitê composto de pesquisadores de todas as universidades publicas da Bahia, com a coordenação do Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Universidade Federal da Bahia.
O X Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais, aconteceu na Universidade do Minho- Campus de Gualtar - BRAGA - PORTUGAL de 04 a 07 de Fevereiro de 2009 e reuniu cerca de dois mil participantes. Para esta edição, estima-se um público ainda maior.

Edital Mestrado UNEB Sto Antonio de Jesus

EDITAL Nº 004/2011
O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais, comunica a abertura para seleção de alunos regulares para o Mestrado Acadêmico do Programa de Pós-Graduação em História Regional e Local, sediado na Rua Monsenhor Antônio Oliveira nº. 81 / 2º andar – Centro – Santo Antônio de Jesus/Ba, aprovado pela Resolução do CONSU nº 327/2005, e recomendado pelo Conselho Técnico Cientifico – CTC da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) através do Ofício Nº324-03/2006, emitido em 14 de junho de 2006, com vistas ao preenchimento de 20 (vinte) vagas, igualmente distribuídas entre as linhas de pesquisa: I - Estudos Regionais: Campo e Cidade; II – Estudos sobre Trajetórias de Populações Afro-brasileiras.

Prémio Fernão Mendes Pinto (Edição 2011)

O Prémio Fernão Mendes Pinto destina-se a galardoar anualmente uma tese de mestrado ou doutoramento que contribua para a aproximação das comunidades de língua portuguesa, defendida durante o ano civil anterior. As propostas deverão ser apresentadas por Universidades ou Institutos de Investigação Científica de países de língua portuguesa e deverão dar entrada na AULP até ao dia 30 de Maio de 2011.
Estão abertas as candidaturas para o Prémio Fernão Mendes Pinto, até 30 de Maio  de 2011. No valor de 10.000 (dez mil euros), este prémio é  instituído pelo Conselho de Administração da Associação das Universidades de  Língua Portuguesa (AULP), que resulta de um protocolo de cooperação entre a  AULP, a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) e o Instituto Camões (IC). É concedido a estudantes de mestrado ou doutorado que tenham desenvolvido em suas teses, trabalhos que contribuam para a aproximação das comunidades de  língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Princípe, Timor Leste e Macau) , defendidas durante o ano
civil anterior, ou seja, em 2010.

Para além de um prémio monetário, a obra do laureado será publicada pelo
Instituto Camões. 
Para maiores informações acesse: http://www.aulp.org/imprensa.php?id=344

Fapesb divulga edital de apoio à Publicação Científica

O Edital 003/2011, inserido nas ações de fomento da FAPESB desenvolvidas no Núcleo de Apoio Regular, objetiva incentivar a publicação científica e tecnológica, em especial aquela de natureza inédita, visando difundir conhecimentos, técnicas ou tecnologias que sejam relevantes para o desenvolvimento econômico, social e cultural do Estado da Bahia.

Para a submissão de propostas, o pesquisador-autor deverá obter, junto a editoras universitárias sediadas na Bahia e vinculadas à Associação Brasileira de Editoras Universitárias (ABEU), parecer de recomendação de publicação. É recomendado que as editoras universitárias observem os critérios adotados pela CAPES para a avaliação de livros.

Diferente do Edital 002/2010, este ano a Fapesb não aceitará propostas de solicitação de apoio a periódicos.

A EDUFBA é uma das sócio-fundadoras da ABEU. Para a submissão de originais para avaliação da editora, os autores deverão atender o seguinte cronograma, obedecendo aos procedimentos de publicação.

De 20 de janeiro à 20 de abril: Recebimento de originais.
De 28 de abril à 01 de julho: Entrega de parecer e orçamento.

Autores contemplados no ano de 2010, não poderão concorrer ao edital 003/2011.

Acesse as normas para publicação e de entrega de originais em:
http://www.edufba.ufba.br/como-publicar/

Para mais informações sobre o edital:
http://www.fapesb.ba.gov.br/?page_id=4518

FUGA DE ESCRAVOS

(CLICK NA IMAGEM PARA AMPLÁ-LA)
Fonte: APB
Seção Judiciária
Cível: 03/1354/21

Arquivo Histórico Municipal da Batalha - Portugal

Consulta e Pesquisa

Aberto parcialmente ao público, o Arquivo Histórico Municipal da Batalha disponibiliza aos utentes um local para consulta e pesquisa dos diversos Fundos Arquivísticos. O leitor é responsável pela documentação desde que a recebe até à sua devolução, devendo cumprir as regras de manuseamento expostas na sala.
O acesso é livre, feito durante o horário de funcionamento e apenas os documentos em mau estado de conservação poderão estar condicionados à consulta.

Digitalização e Fotocópias

O Arquivo dispõe de um serviço de digitalização e imagem gratuito. As fotocópias têm o preço de 0,05€, valor estipulado pelo Centro de Património da Estremadura. Ambos os serviços deverão ser solicitados com antecedência ao responsável do Arquivo Histórico Municipal.

Incorporações de Espólio

Caso se verifique relevância histórica, o Arquivo Histórico está receptivo a doações de espólio de qualquer entidade particular, responsabilizando-se pelo seu transporte, conservação e consulta pública.

Visitas de Estudo

De forma a divulgar o acervo documental e a sensibilizar os mais jovens para a importância da conservação do património arquivístico, o Arquivo Histórico da Batalha disponibiliza-se a apresentar o seu espaço, o espólio lá existente, bem como noções básicas de conservação e utilização da documentação.

Estágios

O Arquivo encontra-se receptivo a acolher jovens para estágios de Formação em Contexto de Trabalho, Ocupação de Tempos Livres e estágios em regime de voluntariado não remunerado.

Faça uma visita:

Lançamento do livro Oxalufã


 (CLICK NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA)

Texto de Renato da Silveira, ilustrações de Edsoleta Santos Sexta feira, dia 21 de janeiro, Livraria Cultura (Shopping Salvador), a partir das 19h

Cinqüentenário do Terreiro Pilão de Prata

 
PROGRAMAÇÃO
 
27 de Janeiro (quinta-feira)
19:00 - Abertura Oficial do Evento pelo Presidente da Sociedade de Preservação do Axé Bangbose
19:30 - Inauguração da Placa Comemorativa aos 50 anos.
20:00 - Lançamento de livro
21:00 - Apresentação Cultural do Cortejo Afro          
 
28 de Janeiro (sexta-feira)
13:30 - Inscrições
14:00  - Roda de Conversa/ Moderadora: Prof(a) Dra. Vanda Machado
15:00 - Intervalo
 15:30  - Mesa Redonda: Poder, liderança e prestigio: a participação da familia Bangbose na organização das Religiões de Matriz Africana no Brasil.
Prof(a) Dra Lisa Earl Castillo (Universidade Federal da Bahia)
Prof. Dr. Julio Braga (Universidade Estadual de Feira de Santana)
Babalorixá Manoel do Nascimento Costa (Sítio do Pai Adão)
Coordenador: Prof. Dr. Vilson Caetano (Universidade Federal da Bahia)
 
17:30 - Exibição de Documentário sobre o Terreiro
 
29 de janeiro (sábado)
9:30 - Mesa Redonda: Os diferentes Brasis que os africanos inventaram: Em torno dos modelos afro-brasileiros construídos no século XIX
Prof. Dr. Ubiratan Castro ( Universidade Federal da Bahia)
Prof. Jaime Sodré (  Universidade do Estado da Bahia)
Prof. Dr. Ordep Serra (Universidade Federal da Bahia)
Coordenador:  Prof. Dr. Hélio Santos
11:00 - Intervalo
11:30 -  II Roda de Conversa/Moderadora:  Ekedi Sinha ( Engenho Velho)
14:30 -  Homenagem dos Alabês ao Cinquentenário do Ile Odo Ojê
16:00 -  Entrega dos Troféus  “Minha Vida é Orixá”
17:00 - Homenagem aos 50 anos e Encerramento

Concurso Coleção Várias Histórias 2011

O CECULT – Centro de Pesquisa em História Social da Cultura (IFCH-UNICAMP) – comunica a abertura de inscrições para a seleção de obras a serem publicadas na Coleção "Várias Histórias", da Editora da Unicamp. Esta coleção divulga pesquisas recentes sobre a diversidade da formação cultural brasileira. Os textos devem estar ancorados em sólidas pesquisas empíricas, manter um diálogo original com a historiografia e focalizar práticas, tradições e identidades de diferentes grupos sociais, explorando os temas da cultura a partir da perspectiva da história social.
 
Requisitos: As inscrições estarão abertas apenas para as teses de doutorado e dissertações de mestrado orientadas pelos docentes da UNICAMP vinculados ao CECULT. Os trabalhos enviados devem ser versões revisadas e prontas para a publicação imediata.

Inscrições: As inscrições estarão abertas a partir de segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011, e encerram-se na sexta-feira, 11 de março de 2011. A inscrição fica formalizada com a entrega dos originais, que poderá ser feita em mãos, no CECULT, no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UNICAMP, ou pelo correio, no endereço abaixo. Neste último caso, será considerada a data de postagem, mas não serão aceitos originais que chegarem ao CECULT, pelo correio, após o dia 16 de março, mesmo que a data de postagem seja 11 de março, ou anterior.

Originais: Os originais devem ser entregues em duas cópias impressas da obra, versão frente e verso, e uma cópia em CD (preferencialmente um arquivo pdf), identificados sob pseudônimo, sem nenhuma referência de autoria na capa, agradecimentos ou notas. Esse material deve ser acompanhado por um envelope lacrado em que conste a identificação do autor – nome, endereço, e-mail e/ou telefone para contato. Os originais não serão devolvidos aos candidatos.
 
Julgamento: Os trabalhos serão submetidos a uma primeira avaliação, realizada pelos docentes do CECULT e, em seguida, serão enviados a uma comissão externa composta por dois professores, aos quais caberá a seleção final. O resultado será divulgado somente ao término do processo, em 30 de junho de 2011.
 
CECULT - IFCH - UNICAMP
Concurso Coleção Várias Histórias
Rua Cora Coralina, s/n°
Cidade Universitária “Zeferino Vaz” – Distrito de Barão Geraldo
Campinas – SP
CEP: 13083-896





Venha curtir o verão no Vila - Encontro de compositores amanhã!

  (CLICK NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA)

Acervo reúne documentação utilizada na elaboração do I PNRA

Disponível integralmente na Internet, o material reúne mais de 600 documentos utilizados como base para o I Plano Nacional da Reforma Agrária
Em 1985, o cenário pós-ditadura era de redefinição das forças políticas e novos rumos no desenvolvimento rural, com a redemocratização da sociedade e a criação do Ministério da Reforma e do Desenvolvimento Agrário (MIRAD). Nesse contexto, surgiu a proposta de elaboração do I Plano Nacional de Reforma Agrária, um documento que inovou ao contar com a participação social e resgatou a esperança por melhores condições de vida no campo. “A redemocratização do país trouxe uma forte demanda de participação política na elaboração de planos, propostas e demais ações governamentais. 1985 é fruto de um longo processo de lutas pela democracia”, explica o sociólogo Abdias Villar.
Para elaborar o Plano, foram recolhidas contribuições de todos os segmentos da sociedade, através de uma metodologia que envolveu reuniões, assembléias, exposições e seminários. O acervo com essas contribuições, anteriormente preservado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), foi resgatado, catalogado, digitalizado e agora está disponível na Internet para consulta.

O acervo de contribuições do I Plano Nacional de Reforma Agrária pode ser consultado no site: http://www.ufpe.br/1pnra/

Para maiores infomações acesse:
http://www.nead.org.br/portal/nead/noticias/item?item_id=6018750

O Café Científico

O Café Científico, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências (UFBA/UEFS) e pela LDM - Livraria Multicampi, tem o prazer de convidá-los para mais um evento no mês de Janeiro de 2011:
 O Café Científico é um local em que qualquer pessoa pode discutir desenvolvimentos recentes das várias ciências e seus impactos sociais. Ele oferece uma oportunidade para que cientistas e o público em geral se encontrem face a face para discutir questões científicas, numa atmosfera agradável.

O evento é inteiramente gratuito e não necessita de inscrição. O local é a LDM - Livraria Multicampi, na Rua Direita da Piedade, 20, Piedade.

Para mais informações, ligue 71 2101-8000 (LDM) ou 71 3283-6568 (UFBA).

Maiores informações sobre o café científico de Salvador podem ser encontradas em http://cafecientificossa.blogspot.com

Informações gerais sobre a iniciativa dos Cafés Científicos podem ser conseguidas no seguinte sítio: http://www.cafescientifique.org.

21 de Janeiro de 2011 – 18:30
Palestrante: Luiz Viana
Tema: Violência Urbana em Salvador

MAM oferece curso de história da arte com Dália Rosenthal

O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), através do seu Núcleo de Arte Educação, promoverá entre quarta e sexta-feira (19 a 21), das 14 às 17h, o curso de história da arte “O Elemento material na obra de Joseph Beuys”, ministrado pela artista e pesquisadora Dália Rosenthal.
O curso, que acontecerá na Galeria 3 do museu, é um desdobramento da exposição A revolução somos Nós, do artista alemão Joseph Beyus, em cartaz no MAM. Dália busca, através desse esforço, discutir aspectos simbólicos e formais da produção de Beuys, partindo de materiais recorrentes em sua obra, além de abordar também aspectos políticos manifestados na obra do artista, a exemplo da ideia de escultura social – a transformação da sociedade como obra artística coletiva, para a qual todo homem está apto.
Artista visual e educadora, Dália Rosenthal é também mestre em história da arte e doutora em poéticas visuais pela Unicamp, com a dissertação “O Elemento material na obra de Joseph Beuys” (tema do curso). Atualmente ela faz parte do corpo docente do Departamento de Artes Plásticas da Universidade de São Paulo.
Os interessados podem se inscrever gratuitamente no site do MAM. Para obter mais informações sobre a curadoria arte-educativa da exposição Joseph Beuys – A revolução somos Nós, acesse o site do órgão ou ligue para (71) 3117 6141. As vagas são limitadas.
ACESSE: http://www.mam.ba.gov.br/

Nildão lança novo livro no Rio Vermelho

O cartunista e designer Nildão promove big festa para lançar “na ponta do lapso”, seu décimo quarto livro.
Será dia 27 de janeiro, quinta-feira, a partir das 21 horas no Bar Santa Maria, no Largo de Dinha, no Rio Vermelho.
A animação fica por conta do Dj  Roger N’ Roll  &  Dj  Rafabela e o ingresso a 25 reais dá direito a um exemplar do livro.
Visite o site: nildao.com.br

ONE MUST CONSIDER THE PAST WHILE MOVING FORWARD

COBA presents its African History Student Matinee program SANKOFA from February 8th to 10th as part of Harbourfront Centre's School Visits programme.

Sankofa 2011: Danse Belé is a theatrical representation of the history of Caribbean Indigenous Folk dances from Trinidad and Tobago. Danse Belé weaves dance, spoken word, music, drumming, chants and period costumes to transport the students through the life and times of plantation slaves.

As part of the program, students will have the opportunity to get a more in-depth explanation of the historical content of the work Danse Belé in an intimate group setting; explore chants through call and response, and learn movement from chosen repertoire of Danse Belé. Students will also participate in a Visual Arts workshop with Harbourfront Centre's School Visits educators to complement the performance.

Dates:
Tuesday, February 8, 2011
Wednesday, February 9, 2011
Thursday, February 10, 2011


Location:
Studio Theatre, York Quay Centre
235 Queens Quay West

Cost:
$15 full-day includes performance, dance and visual arts workshop and teacher resources $10 half-day includes 1pm performance only

School Registration:
Call - 416-973-4091
http://www.harbourfrontcentre.com/schoolvisits1011/?p=218